domingo, 15 de julho de 2007

Refletindo

Certas coisas não entram em minha cabeça, vários anos até encontrar uma pessoa que eu realmente pudesse me sentir voando, alegre, rindo a toa, bem comigo mesmo...
O tempo foi passando e cada vez mais a vislumbrei, cada vez mais queria estar com ela, sairmos por aí sem rumo, darmos risada um do outro ou às vezes não fazer absolutamente nada, apenas nos observarmos. Confesso que no começo me bloqueei, tentei esconder o que sentia, tinha medo de gostar de verdade.
Mas quando o amor realmente aparece e impera sobre um pobre mortal como eu, não há como evitar; acabei me abrindo completamente. Esse sentimento fantástico me fez voltar a minha infância, na época em que não havia preocupações, só fazia o que bem entendesse, acreditava em super-heróis, fingia ser personagens da tv, enfim, tinha a mente livre pra poder aproveitar o que era mais importante: a vida!
O sentimento de quando era chamado de meu amor e quando a ouvia dizendo que me amava era algo indescritível. Infelizmente não há como tentar me aproximar dessa sensação agora, se tiver a chance de sentir mais uma vez prometo vir tentar descrever.
Difícil transformar em palavras principalmente porque o que sinto é uma confusão interna, queria entender porque duas pessoas que se gostam não podem viver juntas? Porque a vida tem que ser tão complicada a esse ponto? Poderíamos resolver nossos problemas juntos, como fizemos muitas vezes, quando alcançava um objetivo imediatamente a procurava pra compartilhar...
Mas a vida tem que ser seguida, o que me acalma no momento é saber sentimentos tão fantásticos nunca se apagam, só cabe a cada um ter vontade suficiente para não esconder de si mesmo e um dia podermos juntos, acertar nossas diferenças.

2 comentários:

Pildz!! disse...

Alegria po!
kd?

Leila disse...

Li esse texto no orkut de um amigo meu:

"Com o tempo, você vai percebendo que para ser feliz com uma outra pessoa, você precisa, em primeiro lugar, não precisar dela.
Percebe também que aquela pessoa que você ama (ou acha que ama) e que não quer nada com você, definitivamente, não é o homem ou a mulher da sua vida.
Você aprende a gostar de você, a cuidar de você e, principalmente, a gostar de quem também gosta de você.
O segredo é não correr atrás das borboletas...
É cuidar do jardim para que elas venham até você.
No final das contas você vai achar não quem você estava procurando, mas quem estava procurando você."

MARIO QUINTANA

Cuide-se!!! Bjus