segunda-feira, 23 de julho de 2007

Não sei mais se devo continuar,
Já estou exausto.
Em minha solitária caminhada,
Já nadei na lava,
Enfrentei espíritos,
Escavei rochas,
Decolei contra o vento...
Fui forte, fui guerreiro,
Agora me deparo
Com um campo aberto inofensivo,
O Sol recarregando minhas forças,
Tudo é belo, mas não consigo prosseguir.

Uma força incessante e inexplicável me derruba
Sou forte, me levanto, me posiciono.
Recuo e avanço novamente,
Fui pêgo pelas costas.

Assim tem sido desde que aqui cheguei,
Nunca imaginei que seria dessa forma,
A ajuda que pensei ter, se virou contra mim,
Desconfio que ela esteja me atacando pelas costas.

Agora irei me sentar, aproveitar que já cheguei,
E apreciarei a paisagem.
Aqui sentado poderei encarar,
Logo entenderei que contra seu próprio medo
Nunca vencerei.
A luta é sua,
O orgulho um dos seus maiores inimigos,
Pare de se iludir, encare,
Porque quando a noite chegar
O céu só poderá lhe observar.

Um comentário:

Pildz!! disse...

� meu camarada.. keep moving!