sexta-feira, 20 de julho de 2007

Ando pensando na importância que faz uma pessoa, nas nossas atitudes, nos nossos passos, na nossa vida em geral.
Quando estamos felizes com alguém fazemos questão que estejam presentes em tudo, desde uma simples caminhada pelo parque, a roupa a ser vestida, até na decisão pelo emprego que poderá mudar nossa vida. Pedimos opiniões mesmo estando clara a alternativa a ser seguida.
Mas e quando aquela pessoa decidiu que não quer mais dar opiniões e nem receber mais as nossas? Passa a existir um vazio interno, ficamos indecisos, cabisbaixos... Esquecemos que podemos decidir sozinhos, uma nova forma de se viver terá que ser tomada, ou quem sabe retomar uma forma antiga.
Sozinho ninguém vive, o problema é que fazemos questão que determinada pessoa esteja sempre presente. Pessoas que de alguma forma se tornaram especiais em nossa vida, seja por atitudes ou simplesmente por serem quem são.
Só não podemos ser egoístas o suficiente para forçar a união com uma pessoa que resolve sair da nossa vida seja lá qual for o motivo, mas da mesma forma, devemos lutar pelos nossos ideais. Mas e agora o que fazer se mesmo tendo lutado não houve resultado?
A vida deve ser seguida, a pessoa de nossas vidas é assim designada por nos fazer bem, nos complementas e vice-versa, então se aquela que se foi estiver nessa condição, irá voltar! Não por nós, mas por ela mesma. A sabedoria está dentro de cada um, podemos lutar contra, mas nunca venceremos de nós mesmos e se insistirmos...bem, muita gente faz isso da mesma forma que sempre ouço pessoas falando que a vida não é justa!

Um comentário:

pildz!! disse...

Lembre-se ... vc só pode salvar a si!