segunda-feira, 3 de setembro de 2007

O desespero de se contar estrelas em companhia,
O medo de na velhice,
Não ter os netos espalhando brinquedos pela casa,
A agonia tomando conta do seu ser,
O ser o qual pensa agir corretamente,
Merecendo assim que seu desejo seja realizado.

Apega-se cegamente àquela pessoa que diz lhe amar,
A qual comenta sobre sua beleza,
E não passa um só dia sem lhe procurar.

E ao amanhecer nota que sua vida não está completa,
Viveu caminhando nas suas ilusões,
Correndo da luz do Sol.
Percebeu que havia uma janela,
E que lá fora era tudo mais claro,
Cabeça confusa, atitudes incertas.

Sua resposta chegará,
Aprender a ser paciente é sua única chance,
Aguardando o exército da paz lhe dominar,
Nessa guerra de opostos.

3 comentários:

Baby disse...

Japa...vc tá ficando bom nisso...
eeeee lindinhow... feriado tá chegando eba! to com saudadis d vc =)

Beijaum =*

Pildz!! disse...

Kra... é o seguinte...
Viva o presente...
O passado já foi
O futuro a Deus Pertence...

Pildz!! disse...

Eu vou protestar...
Minha própria irmã vê seu blog e não vê o meu...
Incrível isso viu...
Não se fazem mais elfos domésticos como antigamente.